sexta-feira, 23 de junho de 2017

Eu li...

E o primeiro lido do mês de junho foi A divina comédia de Dante Alighieri, mas um clássico da literatura mundia pra minha lista ( que ainda é humilde).
Confesso que a ideia central da história achei muito interessante, porém a linguagem utilizada é muito chata e difícil em vários momentos. O que me fazia me desconcentrar e voltar várias vezes trechos pra me situar novamente.
A história conta o trajeto de Dante do Inferno até chegar ao céu, onde ele conta com detalhes o que vê, o que encontra e conversas sobre suas dúvidas.
Apesar da linguagem EXIGIR muito foi uma leitura que senti orgulho em realizar.
Fica a dica.

Sinopse:


Texto fundador da língua italiana, súmula da cosmovisão de toda uma época, monumento poético de rigor e beleza, obra magna da literatura universal. É fato que a 'Comédia' merece esses e muitos outros adjetivos de louvor, incluindo o 'divina' que Boccaccio lhe deu já no século XIV. Mas também é certo que, como bom clássico, este livro reserva a cada novo leitor a prazerosa surpresa de renascer revigorado, como vem fazendo de geração em geração há quase setecentos anos.
A longa jornada dantesca através do Inferno, Purgatório e Paraíso é aqui oferecida na íntegra — com seus mais de 14 mil decassílabos divididos em cem cantos e três partes — na rigorosa tradução de Italo Eugenio Mauro, vencedora do Prêmio Jabuti e celebrada por sua fidelidade à métrica e à rima originais. A edição traz ainda, como prefácio, um inspirado ensaio de Otto Maria Carpeaux.

Nenhum comentário:

Postar um comentário