terça-feira, 30 de julho de 2019

Na minha pele - Lázaro Ramos

Fazia muito tempo que queria ler Na minha pele, do maravilhoso Lázaro Ramos ( sou fã). Assuntos relacionados a cor da pele, racismo, cabelo tem me interessado muito.  E nessa obra, o Lázaro trás de uma maneira bem simples, contando um pouco do que já viveu, deixando bem claro seus sentimentos e pensamentos.
O bacana é que durante a leitura eu visualisava o Lázaro, parecia que ele estava na minha frente, contanto a história AO VIVO! ENTENDEM?

Começamos a leitura conhecendo um pouco da ilha onde Lázaro nasceu,  sobre sua família e  como se deu a construção de sua auto estima.

Depois veremos seu encontro com o teatro, e como o teatro teve um papel fundamental em relação a sua timidez e "daí" já vemos um pouco de sua trajetória como ator. Trajetória cheia de inseguranças.

E o que fica bem claro é que apesar de Lázaro ter uma vida privilegiada graças ao reconhecimento que sua profissão proporciona ele ainda sofre NA PELE o preconceito. E no livro ele dá exemplos que nos revolta.




É bacana ver a consciência que Lázaro tem do peso de seu discurso, ele sabe que é importante  SIM estimular mas é importante deixar claro que nesse percurso se terá desafios.

Eu já era  fã da pessoa Lázaro Ramos e terminei a leitura mais fã! É um grande exemplo.
Vale muito a leitura!
Beijinhos.

segunda-feira, 29 de julho de 2019

O papel de parede amarelo - Charlotte P. Gilman

Hoje falo um pouco sobre esse conto que foi muito falado no universo literário, de tanto ouvi me vi louca pra ler.

O papel de parede amarelo é um conto escrito por Charlotte P. Gilman, um conto curto porém intenso. Dá pra ler em uma sentada. Esse conto chegou a ser recusado por um editor chefe de uma das principais revistas norte americana com o argumento que o conteúdo tornaria as pessoas infelizes, assim como ele ficou ao ler.

Com o passar do tempo esse conto se tornou um símbolo da luta feminista.




Resumindo: Vamos ver uma mulher sofrendo de crises súbitas que é aconselhada por seu marido que é  médico, a relaxar em uma casa de campo. Nessa casa, ela ficará em um quarto com a parede revestida de papel amarelo. Como ela já está com a mente transtornada ela passa a ver essa parede como algo monstruoso.

É um conto bem sombrio, que fala de situações simples que infelizmente encontramos no nosso dia a dia: SUBMISSÃO DAS MULHERES, que são impedidas de decidirem coisas simples entre outras coisas.
O que torna mais intrigante é saber que esse conto é inspirado em uma experiência real da autora.






Eu confesso que de tanto que ouvi falar, estava esperando algo completamente diferente do que li. Achei o conto interessante sim, vale a pena ler e interpretar o que o conto passa nas entrelinhas, porém não foi algo que se tornou o queridinho da vida. Mas vale a pena a leitura.
Você já leu? Ah fiz a leitura no kindle, baixei e foi super tranquilo de ler.
Beijinhos.

domingo, 28 de julho de 2019

O cortiço - Aluísio Azevedo

Hoje falo um pouco de O cortiço, de Aluísio Azevedo. Que foi um livro que li pro projeto 12 Clássicos Nacionais para 2018. Terminei me perguntando: COMO NÃO O LI ANTES? Fiz a leitura usando o app Kindle que tenho no celular.

A obra nos mostra um Rio de Janeiro do século XIX, onde temos uma burguesia vivendo lado a lado com a pobreza. Os personagens são imigrantes, lavadeiras, prostitutas, todos sendo retratados de uma maneira exagerado com características que definem o NEGRO/POBRE do Brasil. Essa maneira exagerada, sem papas na língua é pra fazer uma critica contra o capitalismo da época, que vende a ideia que os portugueses são de uma raça superior que buscam sucesso, trabalham para isso, enquanto os brasileiros são inferiores, preguiçosos e vagabundos.

Entre os personagens que ajudam a dar vida e enriquecer a história, temos João Romão, um português que veio para o Brasil em busca de uma vida melhor. João Romão acaba "ganhando" a venda que trabalhava como forma de "pagamento" dos pagamentos que não recebia de seu patrão. Patrão que resolve voltar para Portugal.



João Romão por ser mega AMBICIOSO, irá fazer de tudo para lucrar com essa venda! TUDO! Ele acaba conhecendo  Bertoleza, uma escrava dona de uma quitanda que possui uma clientela fiel. Ele ira se envolver com Bertoleza para administrar a quintada e ficar com os lucros. Com que ganha da venda e da quintada ele compra um terreno onde contrói pequenos casebres, cobrando um valor baixo para que pessoas pobres possam viver ali. Pessoas que vão consumir produtos de sua venda e quitanda, deixando assim tudo que ganha com ele.


O cortiço foi publicado em 1890, fazia parte do movimento NATURALISTA, movimento artístico e literário conhecido por ser a radicalização do realismo, baseando-se na observação fiel da realidade e na experiência, mostrando que o indivíduo é determinado pelo ambiente e pela hereditariedade.  Ressalto que O Cortiço é destaque desse movimento aqui no Brasil, lembrando que esse movimento teve origem na Europa.

Gente o livro é muito bom! Adorei o final, achei sensacional!!! VALE A PENA LER!!! Gente é só um pequeno resumão, porque perderá toda graça falar de todos os personagens , tem que ler pra se apaixonar!

Eu amei a leitura.