quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Dançando sobre Cacos de Vidro - Ka Hancock

Esse foi um livro que comprei louca pra ler e acabou ficando pra depois. Depois de ler fiquei me perguntando o porque de ter demorado tanto?
O livro Dançado sobre Cacos de Vidro é aquele livro pra quem adora chorar! Eu sou dessas que adoro me acabar em lágrimas com a leitura.


Aqui vamos conhecer a história de Lucy e Mickey um casal na teoria não deveriam/poderiam ficar juntos. Principalmente na visão de Mickey que é bipolar e evita se relacionar por medo de não consegui se controlar.

Mas Lucy que fica perdidamente apaixonada resolve investir nessa relação, prometendo que lhe dar com a situação, vai entender e acima de tudo nunca culpá-lo por atitudes que ele não consegue controlar.


Mickey que também está apaixonado embarca nessa relação. Só que não será somente a doença dele que irá "pesar" nesse relacionamento.

Lucy enfrentará uma batalha contra o câncer, saindo vitoriosa e tendo sempre ao seu lado Mickey nos PIORES momentos não a abandonou.



Depois disso, os dois ao analisar:
- ele bipolar
- ela com histórico de câncer, além do dela teve a mãe...

Então os dois resolvem elaborar umas regras pra evitar futuros sofrimentos. Uma delas: NÃO TERIAM FILHOS!! 

Mas como o destino é traiçoeiro... Lucy em uma consulta de rotina acaba descobrindo que está grávida. No principio é um, choque, medo, depois aquele amor inexplicável !!!

A história é  linda!! Uma hisória de amor marcada por momentos tensos com um futuro incerto mas que deixam o AMOR falar mais alto correndo todos os riscos. 

E a história não fica só no drama do casal, temos também todo um drama envolvendo a irmã de Lucy que faz a história ser mais linda ainda!

Deixa aquela lição: VOCÊ PODE ATÉ PLANEJAR A SUA VIDA MAS O DESTINO PODE LHE RESERVAR OUTRAS COISAS!  
 
Eu somente com essa leitura fiquei fã da escrita da autora Ka Hancock! Por enquanto estou só na vontade já que pelo que estive pesquisando este é o único livro traduzido pro português.

Ka Hancock é enfermeira, tem especialização em psiquiatria e longa experiência profissional com pacientes psiquiátricos e dependentes químicos. Em algum momento entre estudar, trabalhar e criar quatro filhos, conseguiu escrever seu primeiro livro. Ela mora com o marido em Salt Lake City.







 Se você curte chorar se joga e já vai pra leitura com lencinhos.
Beijinhos!
 

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Lucíola - José de Alencar

Lucíola de José de Alencar foi o livro de março do Projeto 12 clássicos nacionais para 2018 que faço parte. Organizado pela Trisha do canal Reticências blog.

Lucíola foi publicado em 1862, é um romance que conta a história de Paulo que recém chegou ao Rio de Janeiro e que aproveita os primeiros dias para conhecer a vida na corte. Em uma noite ele vai a uma festa com seu amigo Sá, nessa festa acaba conhecendo Lúcia, uma jovem muito bonita, cheia de atrativos e CORTESÃ.

Os dois acabam se envolvendo e passam a ter uma relação bem intensa, mas nada fácil porque vão ter que enfrentar algumas normas sociais.

Paulo que espera conhecer uma mulher doce, pura acaba se envolvendo com Lúcia que tem várias facetas: a mulher sedutora em eventos e a mulher tranquila quando está em casa.
No começo ele se encanta mas com o tempo vão surgindo dúvidas, porque afinal de contas o passado dela não é algo fácil de se esquecer.

E Lúcia que é sempre vista como mercadoria, sendo assim ela não tem o direito de ficar com quem quer mas sim com que m pagar.

Então não é fácil de se fácil de se fazer funcionar.





Em uma parte do livro nos é revelado como Lúcia se tornou cortesã. O motivo é algo que ainda hoje é muito comum e continua revoltando e chocando.

Em uma cena temos Lúcia lendo A dama das Camélia (quero ler) e ela se compara com a personagem Margarida. Na época houve várias críticas que dizia que Lucíola era uma cópia de A dama das Camélias. Não é uma cópia  e sim uma inspiração.



É um romance que te faz refletir que nem tudo ´-e o que parece ser. Porque aqui vamos conhecer personagens que parece, felizes/ perfeitos, homens que são os mais respeitáveis quando estão no núcleo familiar, mas quando estão sozinhos, em festas se entregam a luxúria.  E temos também aquelas que são conhecidas por dar prazer em troca de dinheiro mas que se mostram com alguns valores.

No geral gostei da história mas não se tornou um queridinho. Mas valeu a leitura.

Beijinhos.

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Kafka à Beira-Mar - Haruki Murakami

Este é o primeiro livro que leio deste autor que anda tão em alta. O autor de que falo é o japonês Haruki Murakami que é sucesso de vendas no Japão e no mundo todo. Kafka à Beira-Mar é um romance com uma leitura mais densa e confesso que em alguns momentos me deixou confusa.
 Aqui vamos acompanhar a jornada de Kafka Tamura, um menino de 15 anos que resolve fugir de casa mas precisamente pra fugir do pai, graças a uma profecia/maldição que seu pai lhe lançou.  Profecia que estava relacionada com a Maldição de Édipo, da mitologia grega. Que segundo um oráculo estava predestinado a matar seu pai e se casar com sua mãe.
Com essa fuga ele visa encontrar sua mãe e irmã, as duas que partiram quando ele era criança. 


Em paralelo com a jornada de de Kafka, iremos conhecer um senhor que pra mim é o grande personagem da história. Satoru Nakata que depois de um acidente quando criança passou a ter alguns poderes como conversar com gatos mas em contrapartida perdeu a memória, não consegue ler mas é um personagem muito carismático.                                                                                       E a jornada dos dois será repleta de acontecimentos misteriosos e algumas descobertas interessantes.                                                   Apesar de Kafka e Nakata não se encontrarem os acontecimentos estão interligados e no final se cruzam.

A história se passa no Japão, um Japão transformado pelo capitalismo. E uma característica em comum dos nossos personagens é a sensação de se sentirem excluídos, de estarem sozinhos nessa sociedade.

 Como desde o começo foi um livro que me deixou confusa em determinados pontos porque ficava sem entender como era possível aquilo estar acontecendo. Além de me deixar sem respostas para algumas questões. 

No geral foi uma leitura que gostei de realizar, mas ressalto que tem uma linguagem mais densa, refinada, porém que te prende já que ele capricha nos personagens. Personagens com características e histórias curiosas.
hj