Página inicial

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Farenheit 451 - Ray Bradbury

Houve um período que essa obra, Farenheit 451  era muito comentada, todo mundo estava lendo e falando sobre. Falando coisas boas diga-se de passagem.  De tanto ver sobre, minha vontade ler nasceu, e logo o título foi pra minha lista de futuras leituras, mas não era prioridade. Queria ler, mas sabe-se lá quando!
Na minha ida a Franca, visitando família, me deparo com essa edição de Farenheit 451 e aproveitei o tempo que estive por lá pra realizar a leitura.

 Eu já tinha noção do grosso da história. Sabia que se trata de uma distopia, onde a leitura de qualquer tipo, seja de pequenos textos, de livros era extremamente proibida.
E com a leitura fica claro que essa proibição tem como intuito evitar cidadãos pensantes, esclarecidos. NÃO MUITO DIFERENTE DA NOSSA SOCIEDADE, NÃO É MESMO?
Tudo para evitar possíveis rebeliões. Então nesse universo tudo é controlado, as notícias , o que se passa na tv, tudo, tudo mesmo.
Como a leitura é algo proibido, os bombeiros que na nossa sociedade são considerados heróis, apagando e evitando incêndios, nesse universo criado pelo autor Ray Bradbury os bombeiros são responsáveis por acabar com os livros! E como fazem isso, através do FOGO!

Fala se essa ideia não é genial! Um livro publicado em 1953, logo após a segunda guerra mundial, onde se via um cenário com uma sociedade sofrendo de todas as formas, sendo proibida de tudo, inclusive de ter acesso a leitura. Essa obra com certeza foi um tapa na cara da sociedade!


Não é atoa que Fahrenheit 451  se tornou um clássico, havendo uma adaptação pro cinema em 1966.
Eu ainda não assisti ao filme mas quero muito! Pois durante toda a leitura imaginar os livros sendo queimados e os bombeiros acharem o máximo essa ação me dava nos NERVOS!
























Realizei a leitura na edição da Globo, mas existe uma edição mais recente e bem bonita da Biblioteca Azul. Eu gostei muito da leitura, acho que super vale a pena conhecer a história que continua sendo bastante atual.


"Sempre se teme o que não é familiar. Um livro é uma arma na casa vizinha".

Você já leu? Gostou? Conta aí!!!
beijinhos!








Nenhum comentário:

Postar um comentário