sábado, 4 de novembro de 2017

Eu li - Quase noite...

Quase noite de Alice Sebold, é um livro que tem uma premissa muito interessante e integrante: A filha que mata a mãe em um momento de exaustão física e mental. Ao ler isso você logo pensa: Essa história promete!!
E não foi isso que aconteceu, não comigo.


  • Em quase noite, vamos ter o relato de Helen de lembranças que ela tem de sua relação com a mãe. Relação de amor e ódio. Lembranças que vamos conhecer logo depois que ela mata sua mãe (logo no inicio do livro ).
  • Helen desde muito nova se viu responsável por sua mãe, que sofre de AGORAFOBIA (um transtorno psicológico que está ligado a ataques de pânico).
  • O pai era o pai camarada, mais um pai ausente.
  • Depois que Helen mata sua mãe, ela sente no primeiro momento alívio, depois que ela passa a pensar nas consequências de seus atos, em nenhum momento bate o arrependimento.
  • E aí que a história começa a ficar massante, porque vamos ficar com as lembranças dela e com os anseios do que pode vir acontecer!

A história tinha tudo pra ser ótima mas pra mim, a escrita não funcionou! Houve vários momentos que pensava: agora vai! E a coisa não ia. Uma pena, porque a premissa tinha tudo pra ser uma grande história!

Nenhum comentário:

Postar um comentário