sexta-feira, 28 de abril de 2017

Eu li...

Há  anos atrás Dan Brown era meu autor preferido, acredito que por ele está na "moda" e por eu não ter contato com outros.
Hoje em dia já não o curto tanto não! Sei que se pegar alguma obra dele não irei me decepcionar, porém tenho achado suas obras muito semelhantes (minha opinião).
Meu último livro lido  dele e também meu último livro lido foi O símbolo perdido, que conta a história de um louco que acredita ter escondido na cidade de Washington um objeto/palavra que se descoberta pode mudar muita coisa. Porém quem conhece esse segredo não o revela por acreditar que a humanidade não saberá lhe-dar com isso.
MAS existe um jeito pra se chegar a tal segredo, desvendando os segredos de alguns símbolos, objetos que somente uma pessoa pode desvendar, QUEM!?QUEM!? Robert Lagdon (nosso velho conhecido de Inferno, O código da Vinci e Anjos e Demônios (esse só assisti o filme não li o livro.)
Então muita coisa que se vê nesses livros achei parecido em O símbolo perdido. Mas Dan Bronw consegue escrever a história dentro da história. Além da trama principal temos um mistério envolvendo o "louco" com a família Solomon, o que me fez querer chegar até o final.
Pra quem curte Dan Bronw este é um livro que não dá pra deixar de ler.

Sinopse:

Depois de ter sobrevivido a uma explosão no Vaticano e a uma caçada humana em Paris, Robert Langdon está de volta com seus profundos conhecimentos de simbologia e sua brilhante habilidade para solucionar problemas. 
Em O símbolo perdido, o célebre professor de Harvard é convidado às pressas por seu amigo e mentor Peter Solomon - eminente maçom e filantropo - a dar uma palestra no Capitólio dos Estados Unidos. Ao chegar lá, descobre que caiu numa armadilha. Não há palestra nenhuma, Solomon está desaparecido e, ao que tudo indica, correndo grande perigo. 
Mal'akh, o sequestrador, acredita que os fundadores de Washington, a maioria deles mestres maçons, esconderam na cidade um tesouro capaz de dar poderes sobre-humanos a quem o encontrasse. E está convencido de que Langdon é a única pessoa que pode localizá-lo.
Vendo que essa é sua única chance de salvar Solomon, o simbologista se lança numa corrida alucinada pelos principais pontos da capital americana: o Capitólio, a Biblioteca do Congresso, a Catedral Nacional e o Centro de Apoio dos Museus Smithsonian.
Neste labirinto de verdades ocultas, códigos maçônicos e símbolos escondidos, Langdon conta com a ajuda de Katherine, irmã de Peter e renomada cientista que investiga o poder que a mente humana tem de influenciar o mundo físico. 
O tempo está contra eles. E muitas outras pessoas parecem envolvidas nesta trama que ameaça a segurança nacional, entre elas Inoue Sato, autoridade máxima do Escritório de Segurança da CIA, e Warren Bellamy, responsável pela administração do Capitólio. Como Langdon já aprendeu em suas outras aventuras, quando se trata de segredos e poder, nunca se pode dizer ao certo de que lado cada um está.
Nas mãos de Dan Brown, Washington se revela tão fascinante quanto o Vaticano ou Paris. Em O Símbolo Perdido, ele desperta o interesse dos leitores por temas tão variados como ciência noética, teoria das supercordas e grandes obras de arte, os desafiando a abrir a mente para novos conhecimentos

Nenhum comentário:

Postar um comentário