segunda-feira, 24 de abril de 2017

Foz do Iguaçu...

Feriado do dia 21 de abril passou e nós ficamos só por casa! Mas as lembranças do facebook me deste mesmo feriado, do ano de 2014 quando fomos a Foz do Iguaçu.
Na época morávamos aqui há quase 11 anos e nunca tínhamos ido a Cataratas, acreditam? Tainá já tinha ido com a escola, mas o restante da família não.
E no feriado em questão, resolvemos de última hora.
Achamos lindo, mas como marido e eu falamos: não voltamos mais!
Valeu a pena conhecer essa maravilha, mas não temos vontade de voltar! Portanto as fotos de hoje são algumas fotos de 2014, da nossa ida ao Parque Nacional do Iguaçu.












sexta-feira, 21 de abril de 2017

Eu li...

Confesso que o livro de hoje me chamou atenção pela capa: achei linda! Primeiro me perdi na capa pra depois ler a sinopse, que me agradou também.
A história fala sobre Amélia e uma paixão intensa que ela sente por Montoya, um homem que ela só viu usando máscara.
A história é legal sim, só não gostei da autora dar tantos detalhes da relação íntima do casal... gosto sim de pitadas de erotismo, mas acredito que não precisa detalhar tanto, entendem?
Foi o primeiro contato que tive com  autora Slyvia Day, não sei ao certo se comprarei outros. Sabe aqueles livros que você não morre de amores mas também não desgosta? Esse é o caso.


Sinopse:
Anos atrás, Amélia sofreu um duro golpe do destino que passou a descrever como a pior tragédia de sua vida. Passam-se vários anos, mas a ferida nunca foi curada. Agora ela está prestes a aceitar um casamento perfeito, mesmo sem amor, mas que parece ser sua melhor opção. O que não esperava é que um desconhecido surgiria e seria capaz de provocá-la de modo tão especial, e proporcionaria um prazer inexplicável, paixão que jamais pensou viver novamente. Para evitar uma vida de frustrações, procura dar uma nova oportunidade a si mesma... Porém, essa química sexual tem um segredo, e tudo pode ficar ainda melhor e mais delicioso a cada momento.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Páscoa...

Nosso domingo de Páscoa foi por casa mesmo, marido trabalhou e eu estava tentando me recuperar de uma gripe das BRAVAS.
Este ano cada um de nossos filhos ganhou um ovo, o que falaram que gostariam de ganhar. Tainá já não acredita mais em coelhinho da páscoa mas não estraga a alegria dos irmãos que ainda acreditam.
Como sempre colocamos as pegadinhas pra eles acharem, Bernardo foi o primeiro a acordar então foi o primeiro a achar. Não parava de falar que o coelhinho era pequenininho e fofinho(mesmo sem ter visto coelho algum). Adoro a carinha deles!


Bartolomeu tinha visto o ovo Surpresa e estava louco por ele! ficou todo bobo colando as figurinhas no álbum, me lembrei tanto da minha infância!